Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 22 de março de 2018

Aconteceu assim ....

Numa tarde de sábado ela foi, como há algum tempo já fazia, visitar a campa do seu pai. Costumava levar um molho de flores, mas neste sábado levou apenas uma rosa vermelha.


Assim que limpou a lápide, colocou a rosa no vasinho e sentou se um pouco, olhou para a foto do pai e resolveu falar com ele. Não em voz alta, ela jamais faria isso, mas em pensamento...resolveu nesse dia dizer ao pai o que não lhe disse quando ele ainda era vivo, umas vezes por falta de oportunidade, outras vezes por estar desiludida e achar que não valia a pena...
" Pai, nos últimos tempos a nossa relação não foi fácil, mas quero te dizer que não foi por não gostar de ti, foi precisamente por gostar muito de ti, desiludiste me quando escolheste a bebida em vez de nós os três, os teus filhos...e particularmente a escolheste em vez de a mim, eu que era a tua menina, a menina do papá...desiludiste me, magoaste me e a minha reacção foi a revolta, o afastamento. Entretanto morreste, e eu não chorei...mas não leves a mal, fiz o luto mais tarde, sozinha...Mas quero que saibas que espero que estejas em paz, e quero essencialmente que saibas que eu gosto de ti, sempre gostei e continuo a gostar...desculpa..."
Abriu os olhos, olhou para a flor que lá tinha colocado, e a flor tinha 2 ou 3 gotas de água a escorrer nas pétalas...
Era um dia de sol, sem vento algum, a rosa que trazia na mão estava seca...
Acredito que foi um sinal de que tinha ouvido tudo o que ela disse, e aquelas gotas seriam lágrimas...já em vida ele, o pai, era muito sensível e emocionava se facilmente.
Esse dia ficou marcado para sempre na memória dela... Ela era eu 😊 , isto aconteceu de verdade, e até pode ter outra explicação, mas para mim acredito de coração que foi a resposta do meu pai  .


I. R. 

2 comentários:

obrigada pelo comentário