Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Um dia roubo os espelhos do mundo

Um dia roubo os espelhos do mundo para ser o único que te ilustra
Em tons dourados do klondike
Com as o passar entre danças com Njörd
Se perdem sua cor, roubada por teu Deus
Eu te imortalizo no meu olhar.

O encarno que me alimentou os meus dias
Requer retoques de bâton para os espelho traiçoeiro do outro lado da rua,
Enquanto eu nunca deixei de me deslumbrar
A cada toque em minha pele sem calor
Para eles ofereço o elixir da vida
Eu te imortalizo no meu beijar.

São pequenas estrelas que iluminam os meus dias mais claros
Azuis, verdes, a cor que tu desejares
Floresce acordar como uma rosa no jardim.
Como todo cintilante morre,
Onde encontravam rios de emoções
Encontram algo ancestral
Não ouças os rumores do vento
Continuam brilhar mais que o meu reflexo.

Um dia cruel o que amas em mim vai parar de se prolongar pelo o Universo,
Frágil órgão que amou como nenhum outro
Descansa em paz sabendo que para mim sempre serás bela como a palavra em si,
Imortal como o que amas-te.

M.Bela

Sem comentários:

Enviar um comentário

obrigada pelo comentário