Pesquisar neste blogue

terça-feira, 24 de março de 2015

O amor só se ensina uma vez.



“Eu saberia enlear-te em mim: nos meus dedos e na minha vida. Saberia proferir o golpe de asa que te deixasse caída, aos meus pés, no chão. Saberia. Beijar-te, com ou sem palavras, e atiçar-te até o segundo insuportável da paixão. Saberia. Marcar-te. Deixar saudade. Anunciar-me devagarinho e alojar-me para ficar. Saberia. Entregar cada centímetro de pele - e, melhor ainda, arrepiar cada contorno da tua. Saberia. Fazer crescer a criança que brinca e torná-lo no homem que ama; no homem que, desesperadamente, ama. Saberia. Ensinar-te o amor. Aquele de verdade, que não conheces. Numa valsa calma. Retribuir e surpreender, não morder a língua, mas os lábios. Saberia. Oh, é claro que sim. Despertar a fúria e preencher de sentido o desejo. Saberia: sem dó. E até saberia bem.

Mas não posso.

O amor só se ensina uma vez.”


Textos Inéditos, MICHELLE PEREIRA

Sem comentários:

Enviar um comentário

obrigada pelo comentário