Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Julgam me fria ....

Olá
Muitas vezes devido ao meu modo de ser, as pessoas julgam me uma pessoa fria e sem sentimentos...mas não sou, sou uma pessoa carregadinha de sentimentos, só não "amo" toda a gente e não faço questão de fingir que sim.
Hoje morreu a minha tia-avó, a minha tia Lucinda e, do fundo do coração fiquei triste porque ela era uma das tias que eu mais gostava...ela sofreu muito 😞 , de há 18 anos para cá que ela tinha Alzheimer, mas como quase sempre acontece, não foi desta doença que morreu, morreu de uma infecção que o corpinho dela já não conseguiu combater...
Hoje é o velório, amanhã o funeral, e como todos estes anos nunca pude fazer nada por ela, faço questão de acompanhá la à sua última morada. E espero, espero de coração que ela tenha finalmente o descanso e a paz que merece. Até um dia ti Lucinda 💕



I. R. 


segunda-feira, 7 de maio de 2018

Solidão - há 8 tipos de solidão

Olá...
Tenho estado a pensar na solidão.
Quem nunca sentiu solidão ?
Eu já, já senti solidão...e já senti solidão rodeada de gente, mas também já fui eu a "procurá la" ...
A solidão é um sentimento no qual uma pessoa sente uma profunda sensação de vazio e isolamento. A solidão é mais do que o sentimento de querer uma companhia. Lembro me perfeitamente dessa sensação, é angustiante e sufocante...e em algumas alturas é tão intensa que seja a ser desesperante também.
Fui ver à Internet o que diziam sobre este assunto, e encontrei este artigo que achei 5*
Não deixem de ler...

Então, existem 8 tipos de solidão :

A solidão livre
“Porque é que havia de me sentir sozinho? Raras vezes na minha vida tive um sentimento de solidão. Divertimo-nos muito os dois, eu e eu.” António Lobo Antunes (escritor)
Todos somos atingidos pela solidão, porque a vida se encarrega disso: ou porque alguém morre, ou porque mudamos de país, ou porque nos separamos. A maioria das pessoas reage instintivamente à solidão: somos um animal gregário, feito para sobreviver com a protecção da tribo. Precisamos de alguém com quem falar. Com quem dividir alegrias e tristezas. Que acontece quando perdemos essa tribo? Muitas pessoas põem a própria vida e as suas capacidades sociais em causa. Mas outras vêem a solidão como um reencontro consigo mesmas. Estar só não é uma marca de falhanço, mas uma forma de liberdade.

                      Resultado de imagem para solidão livre

A solidão auto imposta
“A solidão desola-me. A companhia oprime-me.” Fernando Pessoa (poeta)
Há quem esteja só não porque o deseje mas porque não consegue libertar-se dela. É como se a solidão se fechasse à sua volta, tornando-se um escudo contra os desapontamentos da vida: um casamento que correu mal, uma relação falhada, amigos que não correspondem. A pessoa fecha-se na sua concha. Precisamos dos outros? Precisamos. Mas não tanto como precisamos do nosso escudo de proteção.


A solidão da diferença
“Se alguém é diferente, na maioria das vezes é um solitário.” Aldous Huxley (escritor)
Há quem tenha dificuldade em encontrar alguém parecido. O ditado popular diz que para cada panela há uma tampa, mas quando a panela não é redonda, mas feita de diferenças, onde está a tampa que lhe serve? Também há a ‘diferença’ por situações de violência, por exemplo. Uma pessoa que viva em situação de violência conjugal vive fechada nessa situação e em si mesma, vive num estado de solidão profundo. Uma depressão também pode diminuir a vontade de estar com os outros.

                          Resultado de imagem para solidão dos diferentes

A solidão entre os outros
“’Onde estão as pessoas?’, perguntou o Principezinho. ‘Estamos tão sozinhos no deserto…’ ‘Também estamos sós entre as pessoas’, disse a cobra.” A. Saint-Exupéry (escritor)
Quantas vezes estamos rodeados de pessoas mas sentimo-nos sós? Essa é a solidão primordial, a que por vezes nos volta para nós próprios. Não é necessariamente má: pode ser apenas sinal de que precisamos de estar... sozinhos. Já a solidão profunda entre duas pessoas é sinal de que, provavelmente, estaríamos menos sós se estivéssemos verdadeiramente sozinhos.


A solidão criativa
”As pessoas que têm empregos criativos têm de estar sós para recarregar as baterias. Não se pode viver 24 horas na ribalta e continuar criativo. Para mim, a solidão é uma vitória.” Karl Lagerfeld (criador de moda)
Num mundo em que estamos rodeados de pessoas, ficar só é uma forma de não termos de estar constantemente do outro lado a olhar para nós. Estar só é conseguir conversar com a pessoa mais importante da nossa vida: nós.

Resultado de imagem para solidão criativa

A solidão do emigrante
“Não pertencer a nenhum lugar, nenhum tempo, nenhum amor. A origem perdida, o enraizamento impossível, a memória imergente, o presente em suspenso.” Julia Kristeva (filósofa)
A ‘nova emigração’ voltou a criar bolsas de solidão em Portugal: quem parte está sozinho num país onde não conhece ninguém. Quem fica tem os amigos de sempre, mas falta-lhe a pessoa que está longe. É possível fazer novos amigos? Claro que sim. Mas nunca estaremos totalmente na nossa zona de conforto.

Resultado de imagem para solidão do emigrante

A solidão de geração
“Com o tempo, vamos ficando sozinhos não apenas pelos que se foram: vamos ficando sozinhos uns dos outros.” Mário Quintana (poeta)
Em Portugal, 17% de pessoas vivem sós. O número de americanos sem amigos próximos triplicou desde 1985. Quantas destas pessoas escolheram de facto viver sós? Temos assistido a uma reabilitação da solidão, mas na maioria das vezes ela é imposta e não procurada. A solidão imposta é muitas vezes geracional: há idosos sozinhos, mas quantas vezes os adolescentes também não são abandonados pela família em frente da internet? A diferença é que o adolescente tem uma maior capacidade de ultrapassar a solidão. Conhece mais gente, tem mais mobilidade, tem mais esperança de vida. Nos mais velhos, a solidão pode pôr em causa a vida que tiveram. Os amigos começam a partir e há menos ânimo (e energia, e oportunidades) para fazer amigos novos. Mais do que nunca, importa ‘regar’ as amizades que ficaram.

Resultado de imagem para solidão de geração   


A solidão nas Redes Sociais
“A solidão é agora tão difundida que se tornou paradoxalmente uma experiência partilhada.” Alvin Toffler (escritor)
A internet tornou a solidão viral: as pessoas sentem-se pior quando vêem a vida perfeita dos outros, dizem os estudos. Ironicamente, usamo-la para aliviar a solidão. E funciona: no Facebook, podemos reencontrar amigos, fazer amigos novos, encontrar almas gémeas que de outra maneira teriam permanecido desconhecidas. O Facebook é uma arma poderosa contra a solidão. Por outro lado, pode ter o efeito contrário se substituirmos totalmente as amizades físicas pelas amizades online. Podemos ter 4000 amigos e não ter quem nos vá ver ao hospital se for preciso. Ou seja, é bom ter amigos online. Mas encontre-os também na vida ‘real’. Olhos nos olhos.


Fonte : este texto dos 8 tipos de solidão foi retirado do site da Activa 

sábado, 28 de abril de 2018

sábado, 21 de abril de 2018

" No meu jardim, há uma flor Que igual eu nunca víra..."

Olá!
🎶  🎶  🎶  " No meu jardim, há uma flor
Que igual eu nunca víra
E quando a vi, foi quando soube
Que nasceu para ser minha... "
Poderia começar assim a história do nascimento da minha filha Bruna...
Estive desde os 20 anos até aos 24 para conseguir engravidar, e quando finalmente aconteceu, tudo o que eu mais queria era anunciá lo ao mundo !!!! Apetecia me gritar " ESTOU GRÁVIDA " 😀, como se fosse a única ou a primeira 😒
A gravidez não correu muito bem, pois tive diabetes e não produzia líquido amniótico suficiente ( este foi o resultado da amniocentese que tive de fazer ). Soube ainda antes de se ver na ecografia que era uma menina ! Fiquei tão feliz !!! Era o meu sonho de criança 💕
O parto teve de ser induzido e estive 31 horas em trabalho de parto...assim que a médica decidiu que íamos avançar para a cesariana, algo desencadeou em mim, e bastou 3 " puxões " e a minha menina nasceu 😀 , de parto normal mas com fórceps, magoaram na na cabeça, perto do olho e partiram lhe a clavícula, mas de resto, linda, grande e saudável...

                       

Foi neste dia, 21 de abril de 2002, tinha eu já os 25 anos, que eu soube pela primeira vez o que é amar infinita e incondicionalmente alguém...
A Bruna foi uma bebé maravilhosa, sossegada e foi uma criança igualmente fácil de cuidar...



Neste momento é uma adolescente. Ela é muito sensível mas também consegue ser muito forte quando enfrenta as suas dificuldades...é uma lutadora e vai vencendo cada batalha que a vida lhe apresenta... É simpática, comunicadora e muito sociável, embora tímida, é inteligente e muito esforçada, vaidosa q.b., mas também tem um ou dois defeitos ( ou três 😂😂 ) , é muito ansiosa, muito preguiçosa e muito ciumenta.
Se calhar tem mais, mas este amor que sinto por ela cega me...
Ela hoje faz 16 anos, e eu só peço a Deus que nunca desampare a minha menina, peço muita saúde e peço tanto que ela seja felicíssima !!! Que Deus me deixe viver até que ela seja adulta e independente...
Parabéns minha filha 🎉🎉🎉 , muitas felicidades, acho que sabes o quanto te amo, mas nunca é demais dizê lo AMO TE INFINITAMENTE, és o ar que respiro e uma das 2 razões que eu tenho para viver. 💕



I. R. 


domingo, 15 de abril de 2018

Não tenho a pretensão de ser uma grande blogger

Olá 👩
É, realmente chego à conclusão que nunca serei uma blogger bem sucedida, cedo muito aos humores da minha depressão, falta inspiração, falta organização nos meus textos, falta perceber o que raio é que as pessoas gostam realmente de ler...porque é que tudo tem de girar em torno da moda, da maquilhagem...enfim!!!
Gosto de aqui escrever, mas muitas vezes não consigo expressar por escrito tudo o que penso e sinto...por vezes não sei sobre que escrever, não quero ser mais uma a falar sobre beleza ( até porque não percebo assim tanto deste tema ), a falar sobre moda... já há tantas bloggers maravilhosas a falar sobre isso, porque entendem e gostam do tema...
Gosto de falar do que sei, do que tenho conhecimento suficiente, falar por falar não é comigo, prefiro então o silêncio.
Gosto de estar por aqui e gosto de saber que vocês também gostam de me "visitar" e ler o que escrevo. Não tenho a pretensão de ser uma grande blogger mas vou me mantendo por aqui, adorava que fossem trazendo amigos/as, não se inibam de comentar e ...voltem sempre, são sempre muito bem vindos.

                       Resultado de imagem para ser blogger

I.R.