Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Eu amo-te. E tu?

Diz que amas. Hoje. E ontem. E todos os dias do ano. Mostra, hoje, o quão aquela pessoa é especial. Demonstra já, amanhã pode ser tarde.

Gostas? Diz!
Queres? Corre!
Precisas? Pede!

Não esperes pela altura certa. Qualquer momento é o correcto para dizer que se precisa de respirar amor. Que se precisa de transpirar paixão. De suar afectos.

Amas hoje? Diz-lhe!

Eu amo-te. E tu?


PASSATEMPO PARA GANHAR UMA MOLDURA DO BENFICA....PARTICIPEM


https://www.facebook.com/Mariazinha2014?sk=app_228910107186452

PARTICIPEM NESTE PASSATEMPO DA PÁGINA MARIAZINHA 
( https://www.facebook.com/Mariazinha2014 )  E BOA SORTE  :-)

ESTE É O PRÉMIO:


O amanhã

Nao importa se vamos amar amanhã, porque só podemos amar hoje.
Não importa com quem estaremos amanhã, porque só hoje podemos estar.
Não importa o que nos poderemos dar amanhã, porque só podemos dar hoje.
O amanhã, será o somatórios de todos os "hojes".


testar produtos gratuitamente

http://youzz.net/PORTUGAL/registration/default/parent_code/czyk6KqUKF//

ajudem por favor

http://www.loveinaboxzippy.com/?app_data=T1I0JMF55CR72OKE

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Sou feliz




Sou feliz e grata com a vida que tenho, mas vivo seguindo o conselho de Fernando Pessoa: não acostumo com o que não me faz feliz e revolto-me quando julgo necessário.

✫‿✫

o tique do teu signo






Carneiro:
Olhar a toda a hora para o telemóvel;
Querer ter sempre razão, mesmo quando não tem;
Mexer no cabelo para se sentir sempre penteada(o)

Touro:
Morder os lábios;
Muita dificuldade em se “desfazer” das suas coisas velhas;
Levantar o tom de voz quando está entusiasmada(o).

Gémeos:
Entusiasmar-se a ouvir música;
“Síndrome das pernas nervosas”, balançar a perna quando estão impacientes;
Roer as unhas.

Caranguejo:
Ser teimosa(o) a toda a hora;
Querer cuidar em demasia de quem gostam;
Andar de um lado para o outro quando se não tiver nada para fazer;

Leão:
Chatear as pessoas que ama;
Gostam de ser o centro das atenções e passam a vida a fazer dramas;
Falar muito sobre si próprio.

Virgem:
Dizer gírias;
Querer tudo arrumado e organizado;
Não deixar que ninguém ajude a fazer nada pois é bastante perfeccionista.

Balança:
Acordar tarde;
Pensar demasiado nas coisas e agir pouco;
Fala da sua vida e pede conselhos a várias pessoas e acaba por não saber a quem dar ouvidos.

Escorpião:
Rir sem motivo;
Gosta de “picar” o outro para discutir;
Acha que tudo está sujo mesmo quando acabou de limpar.

Sagitário:
Ser demasiado irónica(o) quando sente ciúmes;
Achar que é dona(o) da verdade e fala tudo o que pensa mesmo que possa magoar alguém;
Piscar os olhos.

Capricórnio:
Ver as horas a toda a hora;
Dão muitas ordens pois gostam das coisas feitas a sua maneira;
Mexer na orelha;

Aquário:
Mexer no cabelo;
Omitem as suas opiniões por mais que estejam “carregadas” de verdades;
Vive no mundo da lua e é muito distraída(o).

Peixes:
Pensar no(a) namorado(a) a toda a hora;
Pensar que estão sempre doentes;
Esquece-se demasiado das coisas.

Acabar com o pesadelo dos TPC

Acabar com o pesadelo dos TPC

“Não sei como aguentam. Eu perco logo a paciência!” é uma frase que ouvimos frequentemente por parte dos pais dos nossos alunos.
Dispomos de uma sala de estudo onde, todas as tardes, as crianças estão a fazer os seus trabalhos de casa e a estudar de forma geral até que os pais cheguem. Conhecemos bem o desafio de manter um aluno motivado, colado às tarefas, e fazer com que ainda sobre tempo para que brinque e seja criança.
 O tempo dedicado ao estudo varia sempre de acordo com a quantidade de trabalhos pedidos pelos professores e, claro, da vontade dos pais. Assim, temos alunos que trazem trabalhos apenas à 6ª feira e outros que trazem todos os dias. Se a existência de TPC nos primeiros anos escolares gera polémica, a quantidade que é pedida gera ainda mais.
 Não há um grande consenso em relação ao que será a “quantidade ideal” de trabalhos de casa. Estudos indicam que fazer TPC de autonomamente desenvolvem a auto-disciplina, mas que o excesso dos mesmos pode conduzir e os conflitos familiares em torno dos mesmos podem conduzir as crianças ao desinteresse e desinvestimento escolar. Não podemos contudo esquecer que, independentemente da nossa opinião sobre o tema, os TPC continuarão a existir e a constituir parte da avaliação dos alunos.
 Como pode então ajudar os seus filhos?
 --Decida um calendário de estudo: é tentadora a ideia de fazerem os TPC mal cheguem da escola. Contudo, depois de um dia de aulas, é provável que estudar não esteja no topo da lista de motivações do seu filho. Correr e brincar ajuda as crianças pequenas a concentrar-se. Estabeleça um período de brincadeira após a escola e de acordo com outras atividades que já pratique, e uma hora certa para iniciar o estudo. Cumpra este calendário de forma a criar uma rotina;
 --Deixe que os seus filhos escolham o local de estudo: Garanta que tem todos os materiais de que necessita e pode, por exemplo, ter uma caixa com tudo, de forma a transportá-la para onde quiser. Evite as interrupções para procurar material, visto que se traduz apenas em gasto de tempo e desconcentração;
 --Deixe-o trabalhar sozinho: Não conseguirá ensinar autonomia se estiver a controlar todo o processo. Esteja por perto, mas faça as suas tarefas: continue o seu trabalho, estude, faça a lista de compras… estará a transmitir-lhe que, na vida real, é natural que todos tenhamos responsabilidades que devemos cumprir sem dramas;
 --Esteja disponível: Encoraje o seu filho a pedir-lhe ajuda. As crianças acreditam muitas vezes que fazê-lo é admitir que estão a falhar, causando embaraço. Quanto mais disponível estiver e menos crítica for, mais à vontade se vão sentir os seus filhos. Contudo, não lhe dê respostas. Faça novas perguntas que o ajudem a redirecionar o pensamento ou dê-lhe algumas pistas;
 --Resolva o conflito: nos momentos difíceis em que não quer trabalhar, pode fazer sentido fazer uma pausa. Se mesmo assim mostrar resistência, mantenha o controlo e relembre-o que terá que se justificar perante o professor. Ofereça sempre a sua ajuda.

Claudia Pedro ( Psicóloga )

Gestão de tempo nas crianças

Gestão de tempo nas crianças

“Tempo é o que fazemos com ele” era o slogan de campanha de uma marca de relógios.
Reforça em si a ideia de que a forma como sentimos a passagem do tempo está ligada à forma como o vivemos. Por isso, há horas que parecem minutos e minutos que parecem horas.Nas crianças não é exceção. Os seus horários são cada vez mais preenchidos e não há tempo a perder. É a correria matinal, a escola, os trabalhos de casa, o ballet, a natação, a catequese, o teste do dia seguinte, as longas horas de trabalho dos pais… e as discussões familiares no final de cada dia.
- Como conseguir fazer tudo no tempo pretendido com o nível de qualidade desejado?
 Gerir o tempo com qualidade não nasce connosco. É uma competência aprendida que determina em muito a qualidade do nosso desempenho diário, quer seja na escola, no emprego ou mesmo na nossa vida pessoal. E se assim é, então há estratégias que podem ser colocadas em prática, todos os dias, e com os seus filhos, para que também eles um dia se tornem adultos mais capazes de gerir a sua vida.
 A noção de tempo é desenvolvida logo nos primeiros anos com a existência de rotinas diárias. Crianças com 2/ 3 anos vivem maioritariamente no momento presente daí que tenham tão pouca paciência para esperar. Aos 5/ 6 anos já há uma noção de passado, presente e futuro e a capacidade de diferenciar limites temporais como “na semana passada” ou “há muito tempo atrás”. Dos 7 aos 10 anos já está desenvolvida a capacidade de utilizar relógios e calendários.
 Neste sentido, como desenvolver nos seus filhos a capacidade de gerirem o seu tempo?
 1. Atue como exemplo: As crianças fazem aquilo que vêem fazer. Em primeiro lugar, é necessário decidir de que forma quer organizar a sua casa e colocar em a sua decisão em prática. Se todos os dias sair atrasada para o trabalho, se deixar a sua roupa espalhada e se andar a correr pela casa à procura das chaves, é muito provável que o seu filho tenha comportamentos semelhantes em relação às suas coisas;
 2. Comece cedo: Quanto mais cedo tornar a gestão de tempo uma prática familiar, com mais naturalidade os seus filhos aprenderão a fazê-lo. “Será que és capaz de arrumar esses brinquedos enquanto lavo a loiça?”, “tens a festa do Sebastião e a do André à mesma hora. Como fazemos?”, “este ano só poderás fazer o judo ou ir ao futebol. Qual das duas preferes?”;
 3. Escolha criteriosamente as atividades em que o seu filho estará envolvido: é importante que também conserve tempo para estudar e para brincar. Inscrevê-lo em demasiadas atividades coloca-o num modo de “super-funcionamento” mais próprio de um adulto do que uma criança;
 4. Ofereça um calendário a cada um dos seus filhos: deverá ter espaço suficiente para escrever e devem constar todas as suas responsabilidades – período escolar, atividades, hora do estudo. Pode ainda criar um código de cor em que cada atividade tem a sua própria cor. Deste modo, todos os compromissos relacionados com cada atividade serão registo com cor própria;
 5. Defina o local próprio para cada coisa: uma caixa para os carrinhos, outra para os lápis e canetas, etc. Em cada caixa escreva o nome do que deverá conter ou, no caso de crianças mais pequenas, cole imagens. Tenha uma caixa, não muito grande, para todos os brinquedos que não sejam de um tipo específico. Desta forma, todos saberão onde arrumar o quê;
 6.Recompense! Se o seu filho cumpre o calendário 1 semana seguida recompense-o. Tenha em atenção que as crianças são particularmente sensíveis às recompensas em forma de tempo passado com os pais. O seu filho deverá compreender claramente que aquele passeio de bicicleta ou aquele jogo de futebol aconteceu porque cumpriu com as suas responsabilidades.
 Lembre-se que, como em todas as tarefas enquanto pai, vai levar o seu tempo. Premeie os pequenos passos e mantenha-se ativo neste plano, não desistindo com as muitas dificuldades que surgirão no caminho.

Claudia Pedro ( Psicóloga )


sugestões de atividades extracurriculares

Deixamos-vos algumas sugestões de atividades extracurriculares, indicando para cada uma delas a idade recomendada para a iniciar:

Teatro – a partir dos 6 anos.
Xadrez – a partir dos 6/7 anos.
Dança e Ballet – a partir dos 6 anos.
Pintura e Desenho – a partir dos 6 anos.
Música e Movimento – desde os 18 meses.
Desportos Individuais (ténis, judo…) – a partir dos 6 anos.
Desportos Coletivos (Futebol, Andebol…) – a partir dos 6 anos.
Informática – a partir dos 4 anos.
Idiomas (Inglês, Espanhol…) – a partir dos 3 anos, no entanto de forma sistemática a partir dos 5 anos.



Despedida

Despedida
Difícil esquecer este amor
Teus lábios onde beijei
Teu corpo onde posso tocar
Eu não vou suportar
Em meus desejos com os teus
Nesta calmaria, em ondas de prazer
Que lentamente se vão
Deixando borbulhas, que
Dissolvem-se no mar
Banhado em lagrimas
Meio a este olhar saliente
Que vem me despir
E sem saber se o amanhã
Estará em outros braços
Entrego-me como um lobo
Em sua ultima noite em êxtase

AUTOR: GERSON CLAYTON RODRIGUES DOS SANTOS. (s.d.)

Dá que pensar

“As duas maiores invenções da humanidade foram a cama e a bomba atômica; não saindo da primeira, a gente se salva, e, soltando a segunda, se acaba com tudo.”
— Charles Bukowski.

Tal como desejo para mim,desejo que....

Tal como desejo para mim,desejo que....


Conversa de formigas

Conversa de formigas



E a saga continua  hahahahahaha  :v